sexta-feira, 12 de abril de 2024
Campo Grande
24°C

Rádio SOUCG

Toyota trabalha em tinta que muda cor do carro com o calor

Paulo Amaral

Toyota trabalha em tinta que muda cor do carro com o calor

A Toyota
registrou no Escritório de Marcas e Patentes dos Estados Unidos (USPTO) uma nova tecnologia
que promete facilitar a vida de quem precisa pintar o carro após um dano ou, até mesmo, trocar parcial ou completamente a cor de um veículo
. E quer fazer isso sem repintura ou uso de recursos como o chrome delete
.

Batizada com o nome “Modulador de Cores”, a tecnologia vem sendo trabalhada pela marca desde 2022, mas apenas no último dia 19 de março recebeu a patente dos órgãos competentes nos Estados Unidos.

Segundo os registros oficiais do USPTO, a fórmula da tinta desenvolvida pela Toyota poderá mudar a cor do carro dependendo da forma com que ele for exposto à luz e ao calor
. Isso facilitaria, na visão da marca, o trabalho de quem precisa repintar partes do carro ou, então, trocar de cor, após enjoar da original.


Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram
e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

O processo mostra que o carro com a tinta especial precisa entrar em uma espécie de túnel e, lá dentro, é submetido a diversas ondas de calor. Enquanto o carrro esquenta, um dispositivo com o modulador de cores, que conta com diversas luzes, passa sobre toda a superfície do carro para completar o processo da alteração de tom.

Toyota não copiou a BMW

A tecnologia que promete trocar a cor da pintura do carro é algo que já foi trabalhado pela BMW
e, inclusive, mostrado ao público durante a CES 2022
.

De acordo com os registros de patente da Toyota, porém, o processo é totalmente diferente do que foi batizado pela montadora alemã de E Ink.

No caso da BMW, a tecnologia E Ink utilizava um processo chamado de eletroforese. Ele consistia em compor a carcaça do carro em milhões de microcápsulas com diâmetro equivalente à espessura de um fio de cabelo humano.

Cada uma dessas microcápsulas contém pigmentos brancos com carga negativa e pigmentos pretos com carga positiva, que podem ser alterados conforme o comando do motorista.

Leia a matéria no Canaltech
.

Trending no Canaltech:

Fonte

Enquete

O que falta para o centro de Campo Grande ter mais movimento?

Últimas