sábado, 18 de maio de 2024
Campo Grande
20°C

Rádio SOUCG

Samsung vendeu quase 3 bilhões de celulares em 10 anos, diz IDC

Vinícius Moschen

Samsung vendeu quase 3 bilhões de celulares em 10 anos, diz IDC

Levantamentos da agência IDC recentemente organizados pela AltIndex mostraram quais foram as marcas que mais venderam celulares nos últimos dez anos. Não é surpresa que Apple
e Samsung
ficaram à frente de todas as outras, e neste caso a marca coreana levou a melhor.

No total, a empresa comercializou cerca de 2,937 bilhões de dispositivos desde o ano de 2014, enquanto a Apple ficou com cerca de 2,203 bilhões.

Mesmo que a Samsung tenha vencido no panorama geral, a evolução dos dados mostrou uma certa aproximação da principal concorrente. Isso acontece pelo fato de que a coreana teve resultados relativamente inconsistentes, com variações maiores entre os anos de 2017 a 2023.


Siga no Instagram
: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.

De qualquer forma, a Samsung conseguiu manter a liderança por todos os 10 anos da série histórica, mantendo sempre uma vantagem de, no mínimo, 37,9 milhões de unidades.

A vitória da Samsung em número de aparelhos vendidos não representa necessariamente uma vantagem em termos de receitas, já que os modelos da Apple costumam ter um valor agregado mais alto.

Além disso, a coreana viu sua fatia de mercado cair 10% em uma década, enquanto a da Apple aumentou em 2%. Desde então, o mercado viu o crescimento relativamente consistente de empresas chinesas, que passaram a distribuir seus celulares em maior abundância para mais países.

Após as duas primeiras, aparecem em ordem a Xiaomi
(1,1 bilhão de aparelhos vendidos), a Huawei
(1,057 bilhão), a OPPO
(911 milhões) e a Vivo (526 milhões).

No caso específico da Xiaomi, a empresa viu sua fatia de mercado crescer cerca de três vezes ao longo dos últimos dez anos. Os resultados se mostram ainda mais impressionantes quando se considera que a marca esteve entre as que mais sofreram durante a pandemia de COVID-19, e a crise dos chips que aconteceu na mesma época.

A soma da quantidade de aparelhos vendidos e a série histórica das duas maiores pode ser conferida nos dois gráficos abaixo:

Leia a matéria no Canaltech
.

Trending no Canaltech:

Fonte

Enquete

O que falta para o centro de Campo Grande ter mais movimento?

Últimas