sexta-feira, 21 de junho de 2024
Campo Grande
22°C

Rádio SOUCG

  • ThePlus Audio

Review Sony Pulse Explore | Earbuds do PS5 que custa quase um console

Daniel Trefilio

Review Sony Pulse Explore | Earbuds do PS5 que custa quase um console

O Sony Pulse Explore
é o headset sem fio oficial da Sony
para o PlayStation 5
, com adaptador proprietário e integração relativamente simples com o console. O design segue a mesma linha do PS5 em padrões majoritariamente brancos e detalhes em preto, e visual moderno, inclusive para o estojo de carregamento. O problema é que, para um produto com qualidade de som mediana e cancelamento de ruído fraco, seu preço é bem salgado.

Testei o PlayStation Pulse
Explore por cerca de uma semana, tanto jogando quanto na minha rotina diária, já que ele também conta com funcionalidade Bluetooth além do adaptador PS Link. O som espacial em games — inclusive no Windows
— tem sua eficácia restrita a como cada jogo implementa o surround, e o microfone é apenas um pouco melhor que o embutido no Dual Sense
.

Prós

  • Sincronização imediata com adaptador
  • Som espacial com boa noção referencial
  • Autonomia de bateria
  • Sincronização simultânea entre dispositivos

Contras

  • Desconfortável
  • Redução de ruídos ineficaz
  • Preço

Design

O projeto do Pulse Explore segue a nova estética futurista que a Sony adotou a partir do PlayStation 5
, com linhas mais suaves, superfícies brancas e detalhes e acabamentos pretos. O mesmo vale para o estojo com entrada USB para carregamento, bastante discreto e com tampa que desliza para a lateral.


Feedly: assine nosso feed RSS
e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.

Já o formato dos fones intra-auriculares em si é confuso, sendo preciso um pouco de prática para entender como encaixá-los na orelha — dica, a parte alongada precisa ficar apontada para frente, e não para cima. As quatro ponteiras de silicone têm tamanhos visivelmente diferentes, mas não notei diferença em uso.

Sony Pulse Explore: Ficha Técnica

  • Driver: Driver planar magnético
  • Padrão: intra-auricular
  • Construção: plástico resistente
  • Almofadas: ponteiras de silicone em 4 tamanhos
  • Microfone: sim
  • Conexão: Bluetooth 5.3 + PS Link com conexão multi dispositivos
  • Surround: audio espacial apenas em jogos compatíveis

Construção

Ao abrir a caixa do Pulse Explore, a primeira impressão é boa, pois o estojo é relativamente maior que o da maioria dos fones sem fio modernos, sugerindo uma bateria maior. O material utilizado é o mesmo dos outros produtos e periféricos oficiais do PlayStation 5
, como Dual Sense
, carregadores originais e PlayStation Portal
, outro ponto positivo.

Ainda focando no estojo, a tampa tipo deslizante tem uma boa resistência para abrir e fechar, evitando que ela abara acidentalmente na mochila, ativando os fones e consumindo bateria sem necessidade. A porta USB-C para carregamento é bem discreta e fica posicionada próximo à base na parte preta do estojo, preservando sua estética.

Além disso, ela traz faixas led similares às presentes no botão de toque dos controles Dual Sense
, pulsando para indicar quando os fones estão carregando e apagando após a carga completa.

Os fones propriamente ditos seguem a mesma estética, e apresentam um design com corpo totalmente preto, com uma cobertura branca partindo da base dos encaixes, e se alongando para cima. Com isso, eles acabam recobrindo a cartilagem superior da concha da orelha, e não o lóbulo, como a maioria dos outros fones
.

Ao que tudo indica, a escolha é puramente visual, pois não afeta a fixação do fone nem positiva, nem negativamente. Como os fones também funcionam com o PC, fiz o teste de realizar atividades físicas leves, como pular corda, enquanto ouvia podcasts e o Pulse Explore se solta facilmente, mesmo com a ponteira de silicone maior.

““O design inusitado do Pulse Explore é bastante charmoso, mas mesmo com três ponteiras de silicone de tamanhos diferentes, não consegui encontrar uma que fosse mais confortável, e com todas elas o fone se solta facilmente em um movimento mais brusco.””

— Daniel Trefilio

Recursos

Um diferencial interessante do Pulse Explore é a presença de botões para aumentar e diminuir o volume dos dois lados, e não apenas o “+” do lado direito com o “-” no lado esquerdo. Isso permite utilizar apenas um dos lados para caminhar ou ouvir música sincronizado com o smartphone e ainda conseguir ajustar o volume.

O microfone embutido é bem simples, com uma captação superior apenas a dos controles Dual Sense, mas que nem de longe se compara a fones gamer mais robustos com microfones cardioides dedicados. Além disso, a tecnologia
de redução de ruídos embarcada é bem fraca, quase imperceptível, algo que costuma ser um forte diferencial em headsets com preço equivalente.

Conectividade

O Sony Pulse Explore utiliza conexão sem fio de 2,4 GHz com adaptador proprietário PS Link além do padrão Bluetooth, fazendo dele compatível com praticamente qualquer dispositivo com portas USB. Especificamente no caso do PlayStation Portal
, a sincronização dispensa o adaptador, uma vez que o dispositivo já traz sistema PS Link embarcado.

Curiosamente, o PlayStation 5 não traz tecnologia PS Link ou Bluetooth, sendo obrigatório o uso do adaptador proprietário para jogar. Por outro lado, oferecer a capacidade de sincronizar simultaneamente com vários dispositivos permite conectar ao console via PS Link com adaptador e ao smartphone, possibilitando atender uma chamada sem precisar parar de explorar as colinas e vales de Tsushima.

““É interessante um fone oficial para o PlayStation 5 e PlayStation Portal. Ao mesmo tempo, em 2024, ainda não incluir uma tecnologia sem fio, proprietária ou não, para fones em sua principal plataforma, dá a impressão que a intenção da Sony não é melhorar a experiência do usuário, mas criar problemas para vender soluções.””

— Daniel Trefilio

Portabilidade

Por se tratar de um fone intra-auricular, o Pulse Explore é bastante portátil, mas o estojo em si não possui compartimento para guardar o adaptador USB. Como efetivamente apenas o PlayStation 5 obriga o uso do PS Link, isso não é exatamente um problema para quem quiser levar em uma viagem para jogar no notebook.

Por outro lado, o fato de o estojo ser um pouco maior poder ser um problema para quem tiver a intenção de utilizar o Pulse Explore no cotidiano sincronizado diretamente com o celular, pois carregá-lo no bolso pode ser desconfortável.

Qualidade de som

Driver magnético plano do Pulse Explore entrega timbres relativamente nítidos e baixa distorção. O resultado é um som espacial competente, com boa sensação de localização tanto em partidas online quanto em títulos single player, mas a precisão varia bastante conforme as configurações internas do jogo.

Em Ghost of Tsushima: Director’s Cut
, com opções de surround mais robustas, é possível distinguir com clareza a direção de cachoeiras, pássaros, ou mesmo do “vento guia”. Já em Genshin Impac
t, com som mais simples, a transição de posição é mais “brusca”, quase saltando imediatamente de um lado para o outro, sem uma gradação entre sons mais centralizados.

O microfone do Pulse Explore não traz muitos benefícios sobre o microfone embarcado no Dual Sense, além de simplesmente estar mais próximo da boca do usuário. Por essa razão, a captação é um pouco mais clara, mas não o suficiente para ser um diferencial.

““A experiência com o Sony Pulse Explore é bastante divisiva, variando muito de jogo para jogo. Em títulos com sistema de surround mais robusto, é bem impressionante perceber as nuances na mudança de posição de fontes sonoras, mas em games mais simples, a mudança pode ser tão súbita que chega a quebrar a imersão.””

— Daniel Trefilio

Bateria

O ponto mais forte do Sony Pulse Explore é sua bateria
, com autonomia estimada de 15 horas em stand-by. Ao longo dos testes, utilizei o fone em várias configurações diferentes, obtendo resultados bastante distintos.

Jogando e assistindo streamings no PC, consegui atingir uma autonomia média entre 7 horas e 8 horas, tempo bem acima da média para a maioria dos earbuds
. Ao conectar o Pulse Explore simultaneamente com o smartphone e PlayStation 5, essa duração caiu para cerca de 5 horas, ainda bastante satisfatória.

O tempo de carregamento no estojo é equivalente à autonomia em conexão única, pouco acima de 7 horas, e o tempo de carregamento do estojo é de aproximadamente 15 horas, do zero à carga máxima.

Concorrentes diretos

Como PlayStation 5 não conta com tecnologia Bluetooth, o Pulse Explore é o único modelo de fone intra-auricular estilo earbuds compatível com o console, por conta do adaptador PS Link. No entanto, pela faixa de preço de R$ 1,2 mil e tecnologias disponíveis, um forte concorrente é o Logitech G PRO X
Lightspeed, com surround 7.1 e adaptador sem fio.

Com formato over ear, menos prático que o padrão earbuds, o G PRO X traz um sistema de surround e tecnologias de cancelamento de ruído mais competentes que o Pulse Explore. Além disso, seu microfone cardioide é disparado um dos melhores entre os fones gamer sem fio.

Vale a pena comprar o Sony Pulse Explore?

O Sony Pulse Explore é um fone estilo earbuds bastante competente para sua proposta, e por trazer o adaptador PS Link, é o único modelo 100% compatível com PlayStation 5. Em compensação, por também ser Bluetooth 5.3, ele pode ser utilizado em diversas plataformas, inclusive com sincronização simultânea, servindo como uma solução única para o console da Sony e outros dispositivos.

O maior problema é que Sony Pulse Explore custa cerca de R$ 1,2 mil, e não entrega um desempenho que justifique um investimento tão elevado. Por esse valor é possível comprar um earbud extremamente competente
para uso cotidiano, um headset gamer completo com transmissor compatível com PS5 e ainda sobrar dinheiro para a mensalidade da PS Plus
.

Leia a matéria no Canaltech
.

Trending no Canaltech:

Fonte

Enquete

O que falta para o centro de Campo Grande ter mais movimento?

Últimas