sexta-feira, 12 de abril de 2024
Campo Grande
24°C

Rádio SOUCG

Redmi Note 13 Pro+ ganha edição especial de fãs com vendas limitadas

Vinícius Moschen

Redmi Note 13 Pro ganha edição especial de fãs com vendas limitadas

A Xiaomi
iniciou seu mês de aniversário com o tradicional festival dos fãs, caracterizado por trazer descontos para consumidores em mercados selecionados. O evento também costuma trazer uma edição especial de algum smartphone da marca, e dessa vez o modelo escolhido foi o Redmi Note 13 Pro
Plus.

O aparelho se diferencia por trazer sua construção em um novo tom prateado que a marca chama de Mystic Silver. Além disso, a logo do festival pode ser vista na parte traseira, com um acabamento que brilha de formas distintas de acordo com o ângulo em que é visualizado.

Outro detalhe do dispositivo é a sua exclusividade, já que ele terá apenas mil unidades distribuídas em lojas autorizadas da Xiaomi.


Siga no Instagram
: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.

No mais, o smartphone não terá grandes alterações em suas especificações técnicas. Ele será vendido apenas na configuração com 12 GB de RAM
e 512 GB de armazenamento interno — o mesmo conjunto que mostrou um desempenho sólido na análise do Canaltech
.

A ficha técnica do Redmi Note
13 Pro Plus ainda conta com:

  • Processador MediaTek Dimensity 7200 Ultra
  • Câmera principal de 200 MP, acompanhada por uma ultrawide de 8 MP e macro de 2 MP
  • Câmera frontal de 16 MP
  • Bateria de 5.000 mAh com suporte para recargas de 120 W
  • Tela AMOLED de 6,67 polegadas, com resolução de 2.712 x 1.220 pixels e suporte para taxas de atualização a 120 Hz

Mesmo sem o modelo Plus, a linha Redmi
Note 13 já está disponível para compra no Brasil
. Os modelos chegaram ao país em janeiro deste ano, com preços que começam em R$ 1.999 e alta integração com o ecossistema de produtos da Xiaomi.

Leia a matéria no Canaltech
.

Trending no Canaltech:

Fonte

Enquete

O que falta para o centro de Campo Grande ter mais movimento?

Últimas