segunda-feira, 22 de abril de 2024
Campo Grande
26°C

Rádio SOUCG

Quais são os possíveis perigos do chumbo para a saúde?

Fidel Forato

Quais são os possíveis perigos do chumbo para a saúde?

O chumbo é um metal pesado tóxico usado na produção de baterias, tintas, canos, soldas, plásticos, vidros, brinquedos e até garrafas térmicas
. No entanto, esse mesmo chumbo consegue provocar inúmeros problemas de saúde, afetando crianças e adultos.

Os possíveis perigos do chumbo para a saúde envolvem quase sempre o cérebro e o sistema nervoso central. Em caso de intoxicação por chumbo, os rins, o fígado e outros sistemas do corpo humano também podem ser afetados. A fertilidade pode ser comprometida.

Conforme aponta a Organização Mundial de Saúde (OMS), “não há concentração segura de chumbo no sangue conhecida”. Mesmo em pequenas doses, gestantes e crianças já podem apresentar as primeiras alterações
.


Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram
e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

O que é intoxicação por chumbo?

Embora o chumbo seja encontrado naturalmente na crosta terrestre, esses minérios “brutos” não estão relacionados aos possíveis perigos para a saúde. O problema está no uso generalizado em algumas indústrias e atividades econômicas, sem os devidos cuidados, o que resulta em contaminação ambiental e exposição humana ao metal tóxico.

Dessa forma, podemos definir intoxicação por chumbo ou ainda envenenamento por chumbo como a ingestão ou o contato, na maioria das vezes acidental, com esse metal pesado. Quanto maior for a exposição, maiores são os riscos.

Por ano, é estimado que 1 milhão de pessoas morram em consequência da intoxicação por chumbo e outras milhares desenvolvam problemas neurológicos relacionados à exposição ao metal. No caso dos sobreviventes, os danos podem ser irreversíveis, comprometendo a saúde pública.

Perigos do chumbo para a saúde

“Em praticamente todo tipo de exposição a chumbo, considerando a duração curta ou a longo prazo, em altas ou baixas concentrações, o órgão crítico alvo é sempre o cérebro”, afirma Eduardo de Capitani, médico e professor associado da Unicamp, em artigo na revista Medicina (Ribeirão Preto)
. Nestes casos, o paciente com intoxicação por chumbo pode apresentar:

  • Dor de cabeça;
  • Perda de memória;
  • Dificuldade de concentração e de atenção;
  • Alterações de humor;
  • Irritabilidade;
  • Depressão;
  • Insônia ou sonolência excessiva.

Para o especialista, em alguns casos os sintomas evoluem ou já se iniciam com fortes sinais de agravamento. Isso envolve o aparecimento da paranoia, além de delírios e alucinações. Podem ocorrer alterações da marcha e do equilíbrio, quando o cerebelo é afetado. Ainda há risco de convulsões ou mesmo coma.

Outros sinais, como cólicas abdominais, fadiga, dor muscular generalizada (ou mais localizada nas panturrilhas), náusea, vômito e perda da libido, ajudam no diagnóstico.

A confirmação de um caso de intoxicação por chumbo é feita com a dosagem de chumbo no sangue (plumbemia) ou na urina (plumbúria), além da análise dos sintomas apresentados pela pessoa.

Quanto de chumbo no sangue é perigoso?

Para entender o quão prejudicial pode ser o chumbo no sangue, o Laboratório de Análises da Exposição Humana a Contaminantes Ambientais (Lehca), da USP, aponta que:

  • Com 10 microgramas
    de chumbo por decilitro de sangue (50 ug/dl), a pessoa pode apresentar neuropatia, problemas de memória e hipertensão;
  • Com 50 microgramas
    , há relatos de: irritabilidade, dores de cabeça, redução da capacidade auditiva; danos aos rins, queda no número de hemoglobinas no sangue e impotência sexual;
  • Com 100 microgramas
    , o risco de encefalopatia, ou seja, doenças cerebrais é alto, o que pode ser potencialmente mortal.

Em crianças, as complicações em caso de intoxicação por chumbo são mais intensas. Por exemplo, pequenas doses já podem provocar dificuldades de aprendizagem e redução no Quociente de Inteligência (QI)
, além de déficit de atenção.

Como pode acontecer a contaminação por chumbo?

Na maioria das vezes, a pessoa não vai perceber que entrou em contato com o chumbo, o metal responsável pela intoxicação. O risco é maior para pessoas que trabalham em indústrias ou atividades que utilizam o material, mas não só.

Afinal, o metal pesado pode estar presente em baterias, tintas, eletrônicos, lixo eletrônico, utensílios de metal reciclado, louças, cristais e alguns tipos de plásticos, além das atividades de mineração e de garimpo. Tudo isso são fontes de chumbo e deixam “rastros” no ambiente.

Nesse sentido, a intoxicação pode ocorrer a partir da ingestão de poeira, água e alimentos contaminados. Inclusive, as casas muito antigas podem ter canos metálicos, feitos com o material. Em outros casos, a pessoa pode manusear objetos com pequenas quantidades do metal e, eventualmente, levar a mão para a boca. Por isso, é preciso atenção e uma melhor regulação envolvendo o uso do material.

Leia a matéria no Canaltech
.

Trending no Canaltech:

Fonte

Enquete

O que falta para o centro de Campo Grande ter mais movimento?

Últimas