quinta-feira, 23 de maio de 2024
Campo Grande
23°C

Rádio SOUCG

PCIe 5 e 6 precisarão thermal throttling para não superaquecer

Daniel Trefilio

PCIe 5 e 6 precisarão thermal throttling para não superaquecer

A Intel
está projetando drivers controladores para limitar banda e taxas de transferência de novos padrões PCI Express e evitar superaquecimento
. O sistema de thermal throttling para o barramento PCI Express está sendo desenvolvido inicialmente já para PCIe 5.0, limitando as frequências, mas deve trazer ainda limitador de número de pistas para PCIe 6.0, ainda mais rápido e exigente
.

Soluções de thermal throttling são extremamente comuns e amplamente utilizados para evitar que componentes superem suas temperaturas-limite de operação e sejam danificados por superaquecimento.

No entanto, até então, sistemas de segurança desse tipo são mais comuns em processadores e chips gráficos, que modulam desempenho elevando frequências conforme a carga de trabalho
. De maneira geral, outros componentes trabalham apenas com sistemas de arrefecimento, como dissipadores ou ventoinhas
, sem a necessidade de drivers dedicados para controle de temperatura.


Siga o Canaltech no Twitter
e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.

PCIe 6 mais rápido e mais quente

O problema é que uma das formas de melhorar o desempenho dos conectores PCI Express é elevar as taxas de transferência até saturar a velocidade do barramento
. Isso resulta em um aquecimento maior natural, decorrente do próprio processo físico.

Contudo, as temperaturas elevadas também geram menor eficiência do sinal, criando mais ruído e suscetibilidade à interferência, exigindo elevar também as frequências de operação para garantir a integridade do sinal, gerando ainda mais aquecimento.

Inicialmente, os drivers em desenvolvimento para PCIe 5.0 devem atuar apenas nesse aumento de frequência em cargas de trabalho específicas
. Já para o padrão PCI Express 6.0
, é bem provável que também seja necessário reduzir o número de pistas utilizadas dependendo do processo, caindo de 16x para 8x ou 4x
.

Dessa forma, o limite máximo de transferência do novo barramento só será utilizado, de fato, quando for extremamente necessário e em picos curtos, como já ocorre em CPUs e GPUs, além de exigir, também, soluções de arrefecimento dedicadas mais robustas.

Leia a matéria no Canaltech
.

Trending no Canaltech:



Fonte

Enquete

O que falta para o centro de Campo Grande ter mais movimento?

Últimas