segunda-feira, 17 de junho de 2024
Campo Grande
22°C

Rádio SOUCG

Novos radares do RJ rastreiam em tempo real carros roubados

Jones Oliveira

Novos radares do RJ rastreiam em tempo real carros roubados

A cidade do Rio de Janeiro começou a utilizar na última quinta-feira (8) novos radares capazes de rastrear carros roubados, furtados e clonados em tempo real.

Batizado de Civitas (Central de Inteligência, Vigilância e Tecnologia Apoio à Segurança Pública), o sistema emprega 900 radares e 50 câmeras com capacidade de leitura de placas para o monitoramento e transmissão ininterrupta de dados para as forças de segurança estaduais e órgãos municipais, 24 horas por dia, 7 dias por semana.

O grande diferencial do Civitas é a forma como seu monitoramento funciona. Diferentemente de sistemas semelhantes utilizados em outros municípios, que fazem apenas o registro fotográfico do veículo; a nova solução do Rio de Janeiro cria um “cerco inteligente”, mapeando todo o percurso feito pelo carro roubado na cidade.


Siga o Canaltech no Twitter
e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.

Testes bem-sucedidos

Antes de ser liberado para funcionamento público, o Civitas passou por uma bateria de testes com carros da própria Prefeitura do Rio. Nos testes, o sistema conseguiu não só gerar mapas detalhados indicando o percurso dos automóveis, como também indicou data e hora de cada trajeto — tudo de forma automatizada.

“Com o Civitas, a gente vai conseguir identificar veículos roubados ou clonados. Quando o veículo passa num determinado ponto da cidade e, dez minutos depois, essa mesma placa é identificada em outro ponto muito distante, que não daria para fazer esse trajeto a tempo, automaticamente sobe um alerta para a gente com a identificação de clonagem de placa”, explicou o chefe executivo da Central Civitas, Davi Carreiro.

Como funciona o monitoramento

Online desde a última quinta (8), o sistema utiliza a infraestrutura de radares fotográficos de monitoramento de velocidade e semáforo que já existe na cidade do Rio de Janeiro, numa parceria entre a CET-Rio, o COR e o Disque-Denúncia.

O monitoramento tem início após denúncia feita pelo cidadão pelo Disque-Denúncia. A partir disso, agentes abrem a ocorrência e começam a monitorar o automóvel fruto de roubo ou furto numa sala de monitoramento com telas que mostram tudo em tempo real.

No futuro, a Prefeitura espera poder integrar câmeras de segurança privadas instaladas em prédios e estabelecimentos comerciais para auxiliar nos trabalhos do Civitas.

Leia a matéria no Canaltech
.

Trending no Canaltech:



Fonte

Enquete

O que falta para o centro de Campo Grande ter mais movimento?

Últimas