sexta-feira, 24 de maio de 2024
Campo Grande
21°C

Rádio SOUCG

Implante cerebral decifra pensamentos com precisão inédita

Nathan Vieira

Implante cerebral decifra pensamentos com precisão inédita

Um implante cerebral que transforma pensamentos em palavras pode parecer coisa de ficção científica, mas já é realidade. Esses decodificadores que transformam pensamentos em linguagem
têm sido cada vez mais aprimorados pelos estudos, e o mais recente deles — publicado na revista Nature Human Behavior
— promete o maior nível de precisão até agora.

Ao permitir a comunicação pelo pensamento
, esses dispositivos podem ajudar pessoas que possuem dificuldade. Uma possibilidade é que pacientes sem voz voltem a falar
, por exemplo.

Neste estudo mais recente, os autores lançam um apelo: embora tenham sido alcançados avanços importantes na tradução de sinais cerebrais em palavras, os resultados ainda são escassos e ainda não alcançaram alta funcionalidade.


CT no Flipboard
: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.

“Notavelmente, ainda não está claro a partir de quais áreas do cérebro a ‘fala interna’ pode ser decodificada”, alegam os bioengenheiros do Caltech (California Institute of Technology), em comunicado.

Para o estudo, dois participantes com tetraplegia tiveram microeletrodos implantados em duas regiões do cérebro.

A primeira região foi o giro supramarginal, responsável pelo processamento da linguagem e pela compreensão da comunicação verbal.

A segunda foi o córtex somatossensorial primária, que interpreta sinais e fornece ao cérebro informações sobre sensações como toque, temperatura e dor.

Treinamento com palavras

Para treinar a interface, os bioengenheiros trabalharam com seis palavras reais e duas palavras inventadas (ou seja, que não existem em nenhum idioma).

O estudo aconteceu da seguinte maneira: os dois participantes tinham que ficar de frente para uma tela, em que apareciam essas palavras. Em seguida, eles precisaram se imaginar falando aquelas palavras —um conceito que a ciência chama de “fala interna”.

Depois, os participantes também disseram essas palavras em voz alta — o que o estudo define como “vocalização”. Esse processo aconteceu durante três dias, e então o sistema combinou medições da atividade cerebral dos participantes para prever sua fala interna em tempo real.

Implante cerebral preciso

O implante cerebral conseguiu fazer essa tradução de pensamento em palavras com uma precisão inédita. Para o primeiro participante, o sistema capturou sinais neurais distintos para todas as palavras e foi capaz de identificá-las com 79% de precisão.

Mas uma coisa que intrigou os cientistas responsáveis é que a precisão para o segundo paciente foi de apenas 23%. Uma teoria deles é que essa diferença de resultado aconteça por conta de diferentes subáreas do giro supramarginal.

Uma descoberta que os engenheiros tiveram foi que 82 a 85% dos neurônios que estavam ativos durante a fala interna também estavam ativos quando os participantes falavam as palavras em voz alta.

Só que alguns neurônios estavam ativos apenas durante essa fala interna, ou respondiam de maneira diferente a palavras específicas nas diferentes tarefas.

Esses fatores só aumentam a necessidade de mais pesquisa sobre o assunto. Ainda assim, são resultados otimistas para a área de implante cerebral, que tem sido uma grande promessa da ciência para um futuro de longo prazo.

Leia a matéria no Canaltech
.

Trending no Canaltech:

Fonte

Enquete

O que falta para o centro de Campo Grande ter mais movimento?

Últimas