quinta-feira, 20 de junho de 2024
Campo Grande
21°C

Rádio SOUCG

  • ThePlus Audio

IA vai 'transformar' videogames, mas será caro, diz CEO da Ubisoft à AFP

ROBYN BECK

(Arquivo) O CEO da Ubisoft Yves Guillemot

Robyn Beck

A Inteligência Artificial (IA) generativa mudará profundamente a maneira como os videogames são criados e jogados, mas seus custos de capital são um obstáculo sério, disse o CEO da gigante francesa de jogos Ubisoft, Yves Guillemot, à AFP nesta segunda-feira (10).

Falando em um evento em Los Angeles que apresentava os próximos lançamentos da empresa, Guillemot afirmou que a IA generativa, ou Gen AI, poderia fazer com que jogos de mundo aberto, como a franquia de sucesso da Ubisoft “Assassin’s Creed”, parecessem ainda “mais vivos”.

Entre os jogos apresentados no evento estavam o aguardado “Star Wars Outlaws”, baseado no universo da icônica série de filmes, e “Assassin’s Creed Shadows”, que transporta a franquia de ficção histórica para o Japão feudal.

“O que vemos com a Gen AI é a possibilidade de que esses mundos – esses mundos abertos de ação e aventura – sejam muito mais interativos e mais vivos”, disse Guillemot.

“Quando digo vivos… se você encontrar um personagem não-jogável, poderá falar com esse personagem e desenvolver um relacionamento com ele.”

Guillemot descreveu a IA generativa, na qual programas de computador treinados criam de tudo, desde textos a vídeos em segundos com comandos simples, como “algo que transformará nossos jogos”.

Mas com uma demanda pesada por processamento de computador e recursos para treinar os modelos, “o único problema é quanto isso vai custar”, disse Guillemot.

Desde a explosão do frenesi generativo com o lançamento do ChatGPT no final de 2022, as atenções estão voltadas para as maneiras como a tecnologia poderia mudar a indústria de videogames.

Após uma forte alta durante a pandemia de coronavírus, a indústria de videogames tem enfrentado dificuldades, com uma onda de demissões e cortes de custos nas maiores empresas.

O setor também tem lutado com o domínio de títulos de franquia, como “Call of Duty” ou “Fortnite”, o que tem dificultado o surgimento de novos jogos.

“Star Wars Outlaws” será lançado em 30 de agosto, enquanto “Assassin’s Creed Shadows” deverá estar disponível em 12 de novembro.

– Mudança para a nuvem –

“O que falta na indústria no momento são grandes inovações. Precisamos de Gen AI, precisamos da nuvem, para nos ajudar a trazer experiências realmente novas”, disse Guillemot.

O jogo em nuvem, que tem ganhado força na indústria, permite aos usuários transmitir e jogar jogos de alta qualidade sem a necessidade de hardware caro ou consoles de jogos dedicados.

Os defensores do jogo em nuvem dizem que a mudança poderia fomentar uma comunidade de jogos mais vibrante e conectada, à medida que liberta os usuários da dependência de um ecossistema de console, como o Xbox, da Microsoft, ou o PlayStation, da Sony.

Guillemot vê com bons olhos os movimentos da Apple e de outros fabricantes de dispositivos para fortalecer seu hardware com chips mais poderosos, o que poderia tirar as crescentes necessidades de processamento dos jogos da nuvem e levá-las para o próprio dispositivo.

Adicionar chips de IA a hardware como o iPhone ou um laptop “significará mais inteligência em nossos jogos” e também poderia aliviar as necessidades e custos da computação em nuvem.

“A IA está chegando”, disse Guillemot. “Sabemos que ela pode ser um mercado de massa. O problema é que a adoção leva tempo e ainda temos a questão do custo.”

Fonte

Enquete

O que falta para o centro de Campo Grande ter mais movimento?

Últimas