terça-feira, 28 de maio de 2024
Campo Grande
10°C

Rádio SOUCG

EUA dobra impostos sobre semicondutores importados da China

Daniel Trefilio

EUA dobra impostos sobre semicondutores importados da China

O governo dos EUA vai elevar de 25% para 50% a tarifa de importação sobre semicondutores fabricados na China a partir de 2025. A alta que dobra efetivamente o imposto exercido sobre os componentes tem como uma das motivações proteger os investimentos de US$ 280 bilhões
no setor aprovados pela Lei dos Chips
.

Em paralelo, a medida também protege a economia estadunidense, fortemente dependente dos semicondutores de uma possível investida da China sobre Taiwan
. Apesar de atuar internacionalmente como Estado independente, inclusive com consulado próprio, o país é considerado pelo governo chinês como insurgente e oficialmente parte de seu território nacional.

Com a série de medidas econômicas
recentes para barrar o avanço tecnológico chinês
, os EUA temem que o país tente uma retomada forçada de Taiwan. Um movimento desse porte poderia afetar diretamente fabricantes estadunidenses que em sua maioria dependem da TSMC
, maior fornecedora global de semicondutores.


Siga no Instagram
: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.

Incentivando a indústria local

Naturalmente, um imposto de importação maior pode desencorajar novos contratos com a TSMC
para se prevenir uma nova crise no caso de uma retomada de Taiwan por parte da China, e acelerar o crescimento das fundições da Intel
, por exemplo.

Como consequência das novas tarifas, a expectativa é que a própria TSMC
amplie seu interesse em instalar mais fundições de silício nos EUA, além da planta já em construção no Arizona
. Dessa forma, seria possível manter minimamente suas relações com gigantes do mercado, como NVIDIA e AMD
, mesmo em um cenário político mais conturbado.

Leia a matéria no Canaltech
.

Trending no Canaltech:



Fonte

Enquete

O que falta para o centro de Campo Grande ter mais movimento?

Últimas