domingo, 21 de julho de 2024
Campo Grande
30°C

Rádio SOUCG

  • ThePlus Audio

Estudo aponta ultraprocessados que podem encurtar seus anos de vida

Nathan Vieira

Estudo aponta ultraprocessados que podem encurtar seus anos de vida

Não é segredo que os alimentos ultraprocessados possuem uma série de malefícios para a saúde, e como mostra um novo estudo apresentado na NUTRITION 2024
— a principal reunião anual da Sociedade Americana de Nutrição — podem até encurtar seus anos de vida.

A pesquisa produzida pela equipe do National Cancer Institute sugere que consumir maiores quantidades de alimentos ultraprocessados leva a 10% mais probabilidade de morrer em um acompanhamento médio de 23 anos, em comparação com aqueles que consumiram menos.

Ou seja: a maior ingestão de alimentos ultraprocessados ​​foi associada a aumentos em mortes por qualquer causa, principalmente doenças cardíacas ou diabetes.


Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/podcast/

Para chegar a essas informações, os pesquisadores consideraram os dados de mais de 540 mil pessoas que forneceram informações sobre hábitos alimentares desde 1990, quando tinham entre 50 e 71 anos de idade. Eles analisaram então as taxas gerais de mortalidade e possíveis associações com alimentos específicos.

“Piores” alimentos ultraprocessados

Os autores disseram que as carnes altamente processadas e os refrigerantes eram alguns dos subgrupos de alimentos ultraprocessados ​​mais fortemente associados ao risco de mortalidade.

Dito isso, consumir menos nesses alimentos poderia ajudar na prevenção de doenças e promoção de uma saúde mais adequada.

Os pesquisadores também levaram em conta outros fatores que podem aumentar o risco de morte de uma pessoa, como tabagismo e obesidade, e perceberam que pessoas que consumiam mais alimentos ultraprocessados ​​também tendiam a ter maior índice de massa corporal.

Refrigerante lidera lista de ultraprocessados que podem encurtar seus anos de vida (Imagem: Ron Lach/Pexels)

Ao todo, as pessoas foram questionadas sobre o consumo de 124 alimentos. Refrigerantes diet foram os principais contribuintes para o consumo de alimentos ultraprocessados. Em seguida, na lista, estão os refrigerantes com açúcar.

Grãos refinados (como pães ultraprocessados) ​​e produtos assados também foram muito populares no que diz respeito ao consumo desses alimentos.

Mesmo que as carnes e o refrigerante sejam os piores, vale lembrar que ultraprocessados de origem vegetal também prejudicam a saúde
.

Malefícios dos alimentos ultraprocessados

Os alimentos ultraprocessados aumentam risco de sintomas depressivos
e estão associados ao declínio cognitivo. Os processos industriais ​​destroem a estrutura natural dos ingredientes alimentares e retiram muitos nutrientes benéficos (como é o caso das fibras, vitaminas, minerais e fitoquímicos).

Estudos já mostraram que os alimentos ultraprocessados ​​também aumentam risco de câncer de boca e garganta
.

Leia a matéria no Canaltech
.

Trending no Canaltech:

Fonte

Enquete

O que falta para o centro de Campo Grande ter mais movimento?

Últimas