segunda-feira, 17 de junho de 2024
Campo Grande
22°C

Rádio SOUCG

Cavalos modernos vêm de linhagem que surgiu há 4.200 anos

Danielle Cassita

Cavalos modernos vêm de linhagem que surgiu há 4.200 anos

Os cavalos
causaram uma verdadeira revolução na história humana através da mobilidade. Mas, afinal, quando foi que a humanidade começou a transformar estes animais? Bem, segundo um novo estudo do Conselho Nacional de Pesquisa da Espanha, certa linhagem destes mamíferos se tornou dominante na Eurásia há cerca de 4.200 anos — ou seja, talvez tenha sido naquele período que os humanos começaram a espalhar pelo mundo cavalos domesticados.

Não foi por acaso que isso aconteceu: os animais tinham uma mutação genética que alterou o formato do lombo, o que deve ter tornado a montaria mais fácil. “No passado, havia várias linhagens diferentes de cavalos”, explicou Pablo Librado, coautor do estudo. Segundo os autores, os primeiros ancestrais dos cavalos surgiram há um milhão de anos na América do Norte, se desenvolveram na Ásia e foram extintos nas Américas.

A diversidade genética se mostrou ainda mais evidente nas amostras de DNA analisadas pela equipe. O material foi coletado de sítios arqueológicos
dispersos pela Eurásia, e parte das amostras tem pelo menos 50 mil anos.


Feedly: assine nosso feed RSS
e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.

A surpresa veio quando analisaram mais de 400 antigos genomas de cavalos e descobriram que houve uma grande mudança há cerca de 4.200 anos. Parece que a mudança está relacionada a uma linhagem específica que surgiu na estepe pôntica, que vai de parte da atual Bulgária, passa pela Ucrânia e atravessa a Rússia.

Não demorou muito para que a linhagem substituísse outras: em apenas 300 anos, os cavalos na Espanha passaram a ficar parecidos com aqueles da Rússia. “Vimos esse tipo genético se espalhando por quase toda a Eurásia — claramente, esse tipo de cavalo que era local se tornou global muito rapidamente”, acrescentou o coautor Ludovic Orlando.

Para os autores, o processo aconteceu porque os Sintashta, um povoado da Era do Bronze, domesticou seus próprios cavalos locais. Depois, eles usaram os mamíferos para expandir seu território, espalhando estes animais em particular pela Eurásia. Por outro lado, cães, porcos, ovelhas
e outros animais já haviam sido domesticados milhares de anos antes dos cavalos.

É aqui que está um dos maiores diferenciais do novo estudo: a redução da diversidade genética associada à domesticação foi muito mais rápida nos cavalos. “Os seres humanos mudaram o genoma
do cavalo com uma rapidez impressionante, talvez porque já tivéssemos experiência em lidar com animais”, sugeriu Laurent Frantz, pesquisador da Universidade de Munique que não participou do trabalho.

Leia a matéria no Canaltech
.

Trending no Canaltech:

Fonte

Enquete

O que falta para o centro de Campo Grande ter mais movimento?

Últimas