segunda-feira, 17 de junho de 2024
Campo Grande
22°C

Rádio SOUCG

BC confirma o vazamento de dados de mais de 20 mil chaves Pix

André Lourenti Magalhães

BC confirma o vazamento de dados de mais de 20 mil chaves Pix

O Banco Central do Brasil informou nesta terça-feira (11) dois vazamentos de dados de chaves Pix sob responsabilidade das instituições Iugu e Pagcerto, devido a “incidentes de segurança”. Ao todo, mais de 20 mil informações como nome de usuário, CPF com máscara, agência e número de conta foram expostos.

Em nota à imprensa, o BC aponta que o problema ocorreu a partir de “falhas pontuais” nos sistemas das respectivas instituições, mas o vazamento não afetou dados sensíveis, como senhas, saldos bancários e informações de transferências. O órgão diz que o incidente tem “baixo impacto potencial para os usuários” e as informações vazadas são de natureza cadastral, ou seja, não podem ser usadas para acessar as respectivas contas ou movimentar fundos.

O episódio com a empresa Iugu ocorreu entre os dias 21 e 27 de maio deste ano, com dados vinculados a 19.849 chaves Pix. Já o vazamento na Pagcerto ocorreu entre 23 e 24 de abril, expondo dados de 2.197 chaves.


Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram
e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Ao todo, o Banco Central já registrou 10 incidentes com dados pessoais por instituições financeiras desde o lançamento do Pix, em 2020 — 5 deles ocorreram em 2024.

Clientes afetados serão informados

O BC avisa que todas as pessoas que tiveram dados expostos serão notificadas pelo app ou pelo internet banking da respectiva instituição financeira de relacionamento. Nenhuma informação do tipo será compartilhada em outros canais, como SMS e e-mail.

Entre outras notícias relacionadas ao Pix, o Itaú anunciou um novo recurso que informa quando a pessoa está prestes a fazer uma transferência para contas suspeitas
, como chaves que já receberam denúncias de golpes.

Leia a matéria no Canaltech
.

Trending no Canaltech:

Fonte

Enquete

O que falta para o centro de Campo Grande ter mais movimento?

Últimas