sexta-feira, 21 de junho de 2024
Campo Grande
22°C

Rádio SOUCG

  • ThePlus Audio

Dia Mundial do Meio Ambiente: AGEMS amplia Arco dos Ipês e lança projeto piloto em sistema de drenagem

No Dia Mundial do Meio Ambiente, celebrado em 5 de Junho, a Agência Estadual de Regulação (AGEMS) ampliou o projeto do Arco dos Ipês que há dois anos vem sendo formado no Parque dos Poderes, com o plantio de 30 novas mudas.  Agora, o bosque passa a ter 202 árvores plantadas.

Com foco na educação ambiental e apostando nas crianças como ferramentas de transformação, alunos do Centro de Educação Infantil Zé Du e do Projeto Florestinha foram as estrelas da mobilização, colocando as mãos na terra, depositando as mudas, regando, e se tornando responsáveis individualmente por cada uma delas.

“Plantar uma árvore é pensar no Planeta como um todo, é cada um fazer a sua parte”, destacou o diretor-presidente da Agência, Carlos Alberto de Assis. “Nós vemos o que vem acontecendo, de ter chuva demais em um lugar, seca em outro. Esse á mais um exemplo do quanto é importante olhar para o meio ambiente e preservar”.

A diretora de Saneamento Básico e Resíduos Sólidos, Iara Marchioretto reforçou o valor dos efeitos esperados com a ampliação de área verde. “O objetivo é neutralizar ainda mais a emissão de carbono. Hoje, aqui, é um número simbólico de mudas, que representa toda uma conotação ecológica, ambiental”, disse.

“Ser criança é aprender com o exemplo” (Fátima Machi – diretora do CEI Zé Du)

Cooperação e aprendizado

Com a presença de representantes de instituições parceiras, novos pés de ipê foram ocupando o canteiro central na Avenida ao lado da Secretaria de Educação, onde o bosque em formação já conta com outras 172 mudas.

Agente do Florestinha desde 2021, a jovem Camilly Eduarda, 14 anos, logo cedo estava com os colegas fazendo a manutenção do espaço.

No projeto da AGEMS, ela se orgulha de poder ensinar outras crianças, trazendo a vivência e ensinamentos sobre cuidados com a fauna e a flora para o plantio dos ipês, onde auxilia os estudantes menores. “Acho que é muito importante aumentar o número de árvores na natureza. E a mensagem para as crianças é de sempre contribuir, de não desmatar”.

 “É uma alegria contribuir com o nosso composto para esse projeto, que traz a ‘cultura do cuidar’” (Diego Lima – usina de compostagem Organoeste).

A ação ambiental de plantio conta com as parcerias da Prefeitura do Parque, do Imasul, da Agesul/Seilog, Secretaria Estadual de Educação, Detran, Polícia Militar Ambiental, Corpo de Bombeiros, Sanesul, Ambiental MS Pantanal e Instituto Tamo Junto/Tamo Juntinho.

A diretora de Inovação e Relações Institucionais, Rejane Monteiro, aponta que a cooperação em projetos diferenciados como esse tem sido fundamental no modelo de regulação que a AGEMS adotou, de estar mais próxima e acessível ao cidadão e incentivar o desenvolvimento sustentável de Mato Grosso do Sul.  “É um legado que estamos construindo, não apenas da regulação, mas de resultados concretos para quem vive aqui, e até mesmo sendo modelo para outros estados”.

Drenagem

Aproveitando a ação, o presidente da AGEMS anunciou um projeto piloto de drenagem, que consiste na instalação de cestas nas galerias de captação de águas pluviais para retenção de material sólido.

Com a parceria de iniciativa desenvolvida pelo líder comunitário Adriano Ferreira, o projeto recebeu o aval do prefeito do Parque, Manoel Rodrigues Sobrinho, e será realizado de forma experimental em ‘bocas de lobo’ do sistema viário do Parque dos Poderes. “Essa cesta não deixa entrar na galeria material que pode causar o entupimento. Além disso, facilita o trabalho das equipes de limpeza urbana”, explica a diretora Iara.

Também participaram da ação ambiental o diretor de Gás, Energia e Mineração, Matias Gonsales, o chefe da Assessoria Militar, coronel Waldir Acosta, coordenadores e equipe técnica das áreas de saneamento e da Ouvidoria da AGEMS, representantes do movimento Tamo Juntinho e crianças filhas de servidores que se entusiasmaram a aprender desde cedo sobre seu importante papel na preservação do meio ambiente.

Publicado por: Gizele Oliveira

Enquete

O que falta para o centro de Campo Grande ter mais movimento?

Últimas