quinta-feira, 25 de julho de 2024
Campo Grande
29°C

Rádio SOUCG

  • ThePlus Audio

Superar fase de mata-mata é o desafio dos times do MS na Série D

Participação do Sete diante do Ceilândia quando perdeu no DF (foto-arquivo)

O próximo adversário do Costa Rica na penúltima rodada da fase de grupos da Série D será o atual vice-líder do grupo 7, o Inter de Limeira, o jogo acontece no Estádio Major Levy Sobrinho, em Limeira (SP), no sábado (13). Além de uma vitória garantir a classificação, os três pontos colocariam o Costa Rica na vice-liderança do grupo.

O CREC só depende dele para chegar a segunda fase, porém uma derrota do quinto colocado, o Santo André (SP), nestas duas últimas rodadas, já garante o clube sul-mato-grossense na próxima fase. Na terceira colocação do grupo 7, o Costa Rica em 12 rodadas venceu seis jogos, empatou dois e perdeu quatro jogos.

Em indo para a segunda fase, está então seria a segunda vez que o clube sul-mato-grossense. Em 2022, a Cobra do Norte passou e teve pela frente o Bahia, de Feira de Santana. No mata-mata, o time do MS não passou tendo empatado em 0 a 0 fora de casa, mas no Laertão acabou perdendo pelo placar de 2 a 1 e ficou pelo caminho.

Até hoje, nenhum clube do Mato Grosso do Sul conseguiu passar dessa segunda fase do Brasileirão da Série D. Em 2016, o Sete de Setembro passou da primeira fase, mas perdeu os dois confrontos contra o Fluminense (BA) por 2 a 0. No ano seguinte, o Comercial teve pela frente o Ceilândia (DF), mas perdeu em Campo Grande por 1 x 0 e empatou jogando no Distrito Federal.

Em 2018, duas equipes do MS participaram da Série D, sendo Corumbaense e Novo. O time do Pantanal não passou da primeira fase. Na época tinham apenas quatro times por grupo e o Carijó ficou na terceira posição. A surpresa ficou por conta do Novo. O time passou de fase, mas ficou pelo caminho na disputa contra o Iporá (GO). O Novo havia passado em grupo que tinha Sinop, Ceilândia e Aparecidense, tradicionais adversários dos anos anteriores. Em 2019, Corumbaense e Operário fizeram até então a pior participação nem passando da fase.

Operário jogou contra Maringá pelo Brasileirão da Série D (foto-arquivo)

Com a mudança na fórmula de disputa em 2020 a CBF ampliou os grupos sendo então com 8 times como ocorre até hoje. O Águia Negra então teve duas participações seguidas. Na primeira, ficou pelo caminho na quinta posição. No ano seguinte, foi pior ainda e ficou na última posição.

A partir da conquista do Costa Rica no título estadual, em 2022 teve a primeira participação e ficou na terceira colocação no grupo e passou de fase. Foi quando perdeu no mata-mata diante do Bahia de Feira de Santana. Em 2023, o Galo campo-grandense voltou, mas teve novamente a decepção de ficar na última posição.

Fonte

Enquete

O que falta para o centro de Campo Grande ter mais movimento?

Últimas