segunda-feira, 17 de junho de 2024
Campo Grande
20°C

Rádio SOUCG

Sarah Sheeva é criticada após fala machista sobre útero

A pastora, escritora e cantora Sarah Sheeva

, de 51 anos, filha dos músicos Baby do Brasil
, de 71, e Pepeu Gomes
, de 72, foi a convidada do podcast Inteligência Ltda, apresentado pelo comediante Rogério Vilela
, nesta semana. Durante a conversa, ela abordou temas relacionados a relacionamentos sob a perspectiva divina. Sarah, que se apresenta nas redes sociais como pastora-missionária, mentora e conselheira sentimental familiar, causou controvérsia ao afirmar que “a ciência comprovou que o útero da mulher absorve material genético de todos os parceiros”.

“A ciência comprovou que nós, mulheres, absorvemos no nosso sangue o material genético através do útero, que é um portal. Todos os parceiros! Nós ficamos com o DNA dos homens com quem a gente faz sexo. Ou seja: não é machismo, não é feminismo, não é sexismo, é ciência. Eles comprovaram que nós absorvemos o material genético”, afirmou Sarah Sheeva, gerando debates acalorados e críticas nas redes sociais.

O perfil do Tricotei no Instagram compartilhou o trecho em que a filha de Baby do Brasil faz a polêmica declaração sobre a “comprovação científica” de que “o útero da mulher absorve material genético de todos os parceiros”, gerando uma onda de críticas dos internautas. “Fonte: Arial 12”, ironizou um seguidor.

“Fazem de um tudo para a mulher se culpar por sentir prazer. Socorro!”, destacou outra usuária. “O fanatismo religioso emburrece e enlouquece”, opinou outra pessoa. “Se a ciência provou, cadê as evidências científicas, quais foram os estudos, onde está publicado? É cada viagem!”, postou mais um usuário. “Ciência? Que ciência? Onde isso, mulher?”, questionou outra internauta.

Confira o texto na íntegra: 

“Na bíblia mostra, deve estar em Levítico… O que acontece? O homem tinha que casar… O homem morreu e a mulher ficou viúva. E ela não tem filhos. E, para aquela época, você não deixar uma descendência era uma humilhação, era uma tragédia. Então tem uma lei deles que o irmão do cara que morreu case-se com a viúva com um propósito, para suscitar descendente ao que morreu.

Aí a gente pensava: ‘nossa, mas que viagem do colega, que viagem é essa? Pô, o cara que morreu, o DNA dele morreu com ele, o espermatozóide dele morreu com ele, agora o irmão vai semear um espermatozóide no útero da mulher, o filho é dele, mas vai ter o nome do que morreu’

Acontece que a ciência comprovou que o útero da mulher absorve o material genético de todos os parceiros. A ciência comprovou que nós, mulheres, absorvemos no nosso sangue o material genético através do útero, que é um portal. Todos os parceiros! Nós ficamos com o DNA dos homens com quem a gente faz sexo. Ou seja: não é machismo, não é feminismo, não é sexismo, é ciência. Eles comprovaram que nós absorvemos o material genético.

Então há um instinto, é inconsciente, há uma questão fisiológica, como se o homem sentisse que aquela mulher já tem uma carga genética violenta. Quando eu me converti, anos atrás, só fazendo um parênteses para dar um testemunho, porque tem gente que está nos ouvindo nesse momento e entrando em desespero, especialmente mulheres.

Vamos lá… Eu tenho 51 anos, quando eu tinha 24, eu me converti. Eu era uma mulher perdida mesmo nessa área, ignorante, uma mulher do mundo, tinha vida sexual como pessoas do mundo, fazia sexo sem nenhum critério, eu era completamente sem noção, não tinha entendimento nenhum do que eu estou falando aqui. Eu entrei em abstinência sexual algum tempo depois. Eu levei mais ou menos dois anos para ser liberta porque é uma libertação intelectual, que você passa, emocional, e espiritual. São 3 níveis que você tem que passar a libertação. Dois anos eu levei para ser liberta, entrei em abstinência e consagração sexual. Eu não sou casada por um propósito de Deus. Eu tenho um propósito de anos, de ficar solteira, porque Deus me deu uma direção e estou fazendo aquilo que Deus mandou e sou feliz assim.

Mas, vamos lá… vamos entender. Um dos motivos que Deus me mostrou que eu tinha que ficar mais de 10 anos em consagração é porque eu tinha tido vida sexual por mais de 10 anos assídua, com vários parceiros.”



Fonte

Enquete

O que falta para o centro de Campo Grande ter mais movimento?

Últimas