domingo, 21 de julho de 2024
Campo Grande
30°C

Rádio SOUCG

  • ThePlus Audio

Dionne Warwick retorna ao Brasil em 2024 para duas apresentações

Cinco vezes vencedora do
Grammy Awards

, a lendária cantora
Dionne Warwick

retorna ao Brasil em outubro
para apenas duas apresentações
. Uma das divas da música internacional, ela chega ao país logo após ser homenageada, no dia 19 de outubro,
no The Rock & Roll Hall of Fame
nos Estados Unidos
.

Os shows da turnê
One Last Time no Brasil

serão no dia 26 de outubro
, na Vibra São Paulo
e no dia 27 de outubro
, no Theatro Municipal
, no Rio de Janeiro
. Neles, Warwick
cantará os seus maiores sucessos, como
That’s What Friends Are For, I’ll Never Love This Way Again

e
Heartbreaker

, entre muitos outros.

Foto: Divulgação

Aos 83 anos
, Dionne coleciona novos prêmios em sua brilhante carreira. Em dezembro de 2023, foi uma das cinco personalidades escolhidas para o Kennedy Center Honors
, por sua contribuição com a cultura americana. A cerimônia de gala de entrega do prêmio aconteceu no Kennedy Center Opera House
, em Washington
(EUA). E no Rock & Roll Hall of Fame
, em outubro, a homenagem será por sua influência e contribuição para a música mundial.

A artista vem se despedindo dos palcos em grande estilo, com apresentações em que seus milhares de fãs têm a chance de ouvir, ao vivo, um repertório histórico e icônico, repleto de sucessos que alcançaram o topo da lista das músicas mais tocadas no mundo.

Warwick
se tornou um dos pilares da cultura e música pop americana, com mais de 100 milhões de discos vendidos
. Dona de uma voz única e marcante, é considerada por muitos a cantora que preencheu a lacuna entre o soul e o pop, Foi a primeira artista feminina a ganhar o prêmio Grammy de Melhor Performance Feminina de Pop
e Melhor Performance Feminina de R&B
.


Dionne Warwick: Don’t Make Me Over

, premiado documentário sobre a artista, estreou na
CNN

no ano passado e foi um dos filmes originais de maior audiência da rede. Sem contar uma exibição especial no Toronto International Film Festival
. O documentário traz uma combinação de filmagens originais, fotos e gravações da própria estrela, entrevistas autênticas, histórias sobre música e uma vida inteira quebrando fronteiras na indústria.

Em entrevista para o jornalista Marcelo de Assis, Dionne Warwick relembrou um de seus grandes sucessos em prol da AIDS

Dionne Warwick
esteve no Brasil em 2018 e concedeu uma entrevista para o jornalista
Marcelo de Assis

onde falou sobre sua trajetória ao longo de seus 50 anos de carreira
e, na ocasião, relembrou um de seus grandes sucessos, a faixa colaborativa
That’s What Friends Are For

que ela gravou ao lado de Elton John, Gladys Night
e Stevie Wonder
em 1985. Na época, o valor arrecadado com as vendas do single foi revertido para programas de tratamento contra a AIDS
.

Confira:

Marcelo de Assis:
Elton John
acabou de lançar uma coletânea intitulada
Diamonds

onde ele revisita o grande sucesso
That’s What Friends Are For

que é uma composição dele com a Carole Bayer Sager
e onde você gravou em 1985 com Gladys Night, Stevie Wonder
, além do Elton. Como vivemos uma época onde as plataformas digitais ditam os lançamentos e relançamentos e principalmente os jovens acessam em maior número, como você analisa a possibilidade das novas gerações terem acesso à clássicos como este nos dias atuais e no que isso pode contribuir para que os novos artistas também possam criar música em benefício da humanidade, como vocês fizeram naquela ocasião?

Dionne Warwick:
Stevie Wonder, Gladys Knight
e Elton John
são queridos amigos e foi um grande prazer estar no o estúdio para gravar That’s What Friends Are For
!

Nós compartilhamos a crença de que todos nós nos preocupamos com as pessoas em geral, e todos esperam que nossos talentos possam e tenham trazido prazer, bem como ajudar a fazer com que todos percebam que nós, como seres humanos em todo o mundo, estamos todos aqui para servir um ao outro enquanto as canções falam diretamente para isso. Minha esperança é que fôssemos e pudéssemos inspirar nossos jovens a praticar essa forma de vida”

Sobre Dionne Warwick

A carreira de Dionne Warwick
, que atualmente comemora mais de 50 anos
, a consolidou como um ícone da música e do show internacional. Ao longo desse tempo, emplacou 75 canções de sucesso
nas paradas.

Começou a cantar profissionalmente em 1961, após ser descoberta por uma equipe de jovens compositores, Burt Bacharach
e Hal David
. E teve seu primeiro sucesso em 1962 com
Don’t Make Me Over

.

Menos de uma década depois, lançou mais de 18 singles consecutivos no Top 100
, incluindo suas gravações clássicas de Bacharach/David,
Walk on By, Anyone Who Had a Heart, Message to Michael, Promises Promises, A House is Not a Home, Alfie, Say a Little Prayer, This Girl’s in Love With You, I’ll Never
Fall in Love Again, Reach Out For Me

e o tema de
Valley of the Dolls

.

Juntos, Warwick
e sua equipe de compositores, de Burt Bacharach
e Hal David
, acumularam mais de 30 singles de sucesso
e quase 20 álbuns entre os mais vendidos
, durante sua primeira década juntos.

Dionne
recebeu o primeiro prêmio Grammy
em 1968 por seu grande sucesso,
Do You Know the Way to San Jose?

, e um segundo Grammy
em 1970 pelo álbum mais vendido,
I’ll Never Fall in Love Again

. Ela se tornou a primeira artista solo feminina afro-americana de sua geração a ganhar o prestigioso prêmio de Melhor Performance de Vocalista Feminina Contemporânea
. Este prêmio foi concedido apenas a uma outra lenda, Ella Fitzgerald
.

Conhecida como a artista que “preencheu a lacuna”
, a mistura comovente de música pop, gospel
e R&B
de Warwick transcendeu raça, cultura e fronteiras musicais. Em 1970, após o segundo Grammy, começou mais uma década de sucessos com a Warner Bros. Records
. Em 1974, atingiu o topo das paradas com
Then Came You

, um dueto com The Spinners
, que vendeu 1 milhão de cópias
.

Em 1976, Warwick
assinou com a Arista Records
, iniciando depois uma terceira década de sucessos. O colega de selo, Barry Manilow
, produziu seu primeiro álbum
Platinum

, Dionne, que incluiu consecutivos sucessos
I’ll Never Love This Way Again

e
Déjà vu

. Ambas as gravações ganharam prêmios Grammy.


Heartbreaker

, o álbum de Warwick
de 1982, co-produzido por Barry Gibb
e os Bee Gees
, tornou-se um sucesso internacional. E em 1985, ela se reuniu com o compositor Burt Bacharach
e os amigos de longa data, Gladys Knight, Elton John
e Stevie Wonder
, para gravar a canção histórica
That’s What Friends Are For

, que se tornou um hit número um em todo o mundo e a primeira gravação dedicada a aumentar a conscientização e gerar grandes fundos (mais de US$ 3 milhões
) para a causa da AIDS
, em apoio à AMFAR
, que Warwick continua a apoiar.

Warwick
recebeu o prestigiado prêmio Steve Chase Humanitarian Arts & Activism 2011
pelo Desert Aids Project
e foi reconhecida por sua carreira estelar por Clive Davis
em sua lendária festa pré-Grammy em Los Angeles
(EUA). Adicionando a sua lista de honras históricas, Warwick ganhou em 2013 a cobiçada Medalha de Honra de Ellis Island
em Nova York
e foi incluída no Hall da Fama de Nova Jersey
em 2013.

Foi homenageada com um especial da PBS Television
, intitulado
Dionne Warwick: Then Came You

, e nomeada embaixadora no Smithsonian Institutes Year in Music
de 2019. Recebeu o Grammy Lifetime Achievement Award
de 2019 da National Academy of Recording Arts & Sciences
.

Lançado em 2023 e narrado pela própria Dionne, o documentário
Dionne Warwick: Don’t Make Me Over

detalha a infância da lendária vocalista e conta as histórias por trás de alguns de seus sucessos no topo das paradas, com participações mais que especiais de nomes como Elton John, Alicia Keys
e Paul McCartney
.

Também no ano passado,
Peace Like a River

, o aguardado dueto gospel de Dionne
com a superstar Dolly Parton
, foi disponibilizado em todas as plataformas digitais.

O orgulho e a alegria de Warwick são seus dois filhos: o cantor David Elliott
e o premiado produtor musical Damon Elliott
, e sua família.

Fonte

Enquete

O que falta para o centro de Campo Grande ter mais movimento?

Últimas