domingo, 21 de julho de 2024
Campo Grande
30°C

Rádio SOUCG

  • ThePlus Audio

AGEMS terá suporte de unidade móvel para fortalecer análise da qualidade da água em Mato Grosso do Sul

A Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos (AGEMS) terá suporte de uma grande ferramenta no avanço para a saúde pública em Mato Grosso do Sul: a aquisição de uma unidade móvel, furgão equipado com laboratório, totalmente equipado para análise da qualidade da água. O anúncio foi realizado, na sexta-feira (5), durante evento no Centro de Convenções Arquiteto Rubens Gil de Camilo.

O investimento necessário para essa iniciativa foi viabilizado através de uma Emenda Parlamentar advinda da bancada federal de MS e contrapartida do Governo do Estado. Ao todo, são mais de R$ 702,6 milhões destinados as áreas essenciais, incluindo saúde pública, educação, segurança, infraestrutura e assistência social. Esses recursos representam um marco significativo para o desenvolvimento sustentável e a qualidade de vida nos 79 municípios do estado. A emenda dessa inovação tecnológica no saneamento, foi destinada pelo deputado federal, Vander Loubet.

“A nossa palavra é de gratidão por trabalharmos nessa convergência em relação aos objetivos do nosso Estado, como nós fizemos na semana passada na Assembleia Legislativa com as emendas estaduais, que foram de R$ 72 milhões. É um volume altamente expressivo”, afirma o governador Eduardo Riedel.

De acordo com o diretor-presidente da AGEMS, Carlos Alberto de Assis, essa grande ferramenta não apenas fortalece a capacidade de monitoramento, mas também representa um avanço tecnológico que permitirá realizar análises mais rápidas e precisas.

“A unidade móvel para análise da qualidade da água potável é avanço extremante necessário para aprimorar nosso compromisso com a saúde pública e o bem-estar da população sul-mato-grossense, que pode assegurar que os padrões adequados de saúde estarão sendo observado nos mais diversos pontos de captação e comunidades, com o objetivo de avaliar se a água consumida atende aos padrões de IQA (Índice de Qualidade da Água), regulados pela AGEMS em conjunto com a Secretaria Estadual de Saúde, cuidando da saúde pública aos cidadãos”, afirma.

Compromisso e resultados
Para a diretora de Saneamento Básico e Resíduos Sólidos, Iara Marchioretto, a unidade móvel de análise da qualidade da água desempenhará um papel regulatório, social e de saúde pública às comunidades, especialmente aquelas localizadas em áreas não urbanas e vulneráveis.

“Além de funcionar como uma contraprova das análises já realizadas, a unidade móvel de IQA será um laboratório itinerante, levando inovação, tecnologia e expertise, em busca da melhoria dos padrões dos Índices de Qualidade da Água em comunidades tradicionais, quilombolas e assentamentos rurais. Isso é essencial para garantir que todos tenham acesso à água de qualidade em padrões de saúde adequados aos cidadãos”, explica Iara.

Na visão do secretário de Estado de Saúde, Maurício Simões, o benefício chegou no momento certo.

“Considerando que o nosso organismo é composto substancialmente de água, e que a sanidade da água que ingerimos é essencial para nossa própria saúde, é com muita satisfação que recebemos estes recursos que serão investidos na vigilância da qualidade da água em nosso estado”, reafirma Simões.

A AGEMS tem se destacado pelo trabalho contínuo em parceria com a Secretaria Estadual de Saúde e a Vigilância, focando na elevação dos padrões de qualidade da água em todo o estado. A regulamentação do Índice de Qualidade da Água (IQA) tem sido um dos pilares deste esforço, resultando em um monitoramento mais eficiente e em ações de fiscalização direcionadas e eficazes. A identificação de pontos críticos tem permitido intervenções precisas, garantindo que todas as localidades recebam a atenção necessária para resolver eventuais problemas de qualidade da água.

A introdução desta unidade móvel reforça o compromisso do Governo do Estado, através da SES e AGEMS em proporcionar água de qualidade aos sul-mato-grossenses. Este investimento não só fortalece as capacidades técnicas, mas também representa um avanço significativo no compromisso com a saúde pública e o desenvolvimento sustentável.

 

*Com informações do Governo do Estado

Publicado por: Bruna Aquino

Enquete

O que falta para o centro de Campo Grande ter mais movimento?

Últimas