segunda-feira, 17 de junho de 2024
Campo Grande
20°C

Rádio SOUCG

Veja como Chicago, dólar e USDA impactaram os preços da soja hoje

O mercado brasileiro de soja não registrou grandes volumes ofertados nesta terça-feira, apesar de alguns bons negócios no Rio Grande do Sul. Os preços ficaram de estáveis a mais baixos e os vendedores estiveram pouco presentes.

Os agentes esperam pelo relatório de oferta e demanda do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA).

Preços da soja no Brasil

  • Passo Fundo (RS): caiu de R$ 134 para R$ 133,50
  • Região das Missões: recuou de R$ 133 para R$ 132,50
  • Porto de Rio Grande: teve baixa de R$ 141 para R$ 140,50
  • Cascavel (PR): seguiu em R$ 131
  • Porto de Paranaguá (PR): permaneceu em R$ 140
  • Rondonópolis (MT): valorizou de R$ 124 para R$ 125
  • Dourados (MS): se manteve em R$ 124
  • Rio Verde (GO): estabilizou em R$ 124

Bolsa de Chicago

Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam a terça-feira com preços mais baixos. O mercado foi pressionado pelo bom andamento do plantio nos Estados Unidos e as boas condições das lavouras do país.

A sessão foi bastante volátil, com os investidores se posicionando frente ao relatório de oferta e demanda do USDA, que será divulgado nesta quarta-feira (12). No mesmo dia, serão anunciados os dados sobre a inflação e a taxa de juros do país.

Conforme traders e analistas consultados por agências internacionais, os estoques finais devem ficar em 348 milhões de bushels em 2023/24, ante 340 milhões de bushels estimados em maio.

Para a temporada 2024/25, são esperados 455 milhões de bushels, ante 445 milhões de bushels no mês anterior. Já a produção deve ficar em torno de 4,444 bilhões de bushels em 2024/25, ante 4,450 bilhões de bushels no relatório anterior. A produtividade deve ser levemente reduzida para 51,9 bushels por acre, ante 52 bushels em maio.

Contratos futuros da soja

notas de dólar
Foto: Pixabay

Os contratos da soja em grão com entrega em julho fecharam com baixa de 10,25 centavos ou 0,86% a US$ 11,88 1/4 por bushel. A posição agosto teve cotação de US$ 11,71 3/4 por bushel, com recuo de 11,00 centavos ou 0,93%.

Nos subprodutos, a posição julho do farelo fechou com baixa de US$ 8,70 ou 2,36% a US$ 359,30 por tonelada. No óleo, os contratos com vencimento em julho fecharam a 43,67 centavos de dólar, com alta de 0,01 centavo ou 0,02%.

Câmbio

O dólar comercial encerrou a sessão em alta de 0,08%, sendo negociado a R$ 5,3605 para venda e a R$ 5,3586 para compra. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 5,3363 e a máxima de R$ 5,3729.

Fonte

Enquete

O que falta para o centro de Campo Grande ter mais movimento?

Últimas