sexta-feira, 24 de maio de 2024
Campo Grande
20°C

Rádio SOUCG

Agrofy e Case IH comemoram um ano de sucesso da loja online no Brasil

A parceria entre a Agrofy, plataforma de soluções digitais do agronegócio, e a Case IH, marca da CNH, completa um ano no mercado brasileiro. A implementação das lojas de equipamentos novos e usados na plataforma da Agrofy marcou um avanço no setor agrícola digital, oferecendo acessibilidade e conveniência aos produtores rurais.

Confira na palma da mão informações quentes sobre agricultura, pecuária, economia e previsão do tempo: siga o Canal Rural no WhatsApp!

Ao longo do último ano, a Agrofy e a Case IH trabalharam em conjunto para desenvolver soluções personalizadas que atendessem às demandas do setor. A implementação das lojas de equipamentos novos e usados resultou em um impacto expressivo, com cerca de 15 milhões de visualizações e 20 vezes mais leads gerados para a rede, evidenciando o interesse e a presença crescente do produtor rural na internet.

Os números falam por si: a loja de equipamentos novos registrou aproximadamente 3,5 milhões de visualizações de anúncios e 400 solicitações de orçamento ao longo do ano. Enquanto isso, a loja de equipamentos usados alcançou números ainda mais significativos, com quase 12 milhões de visualizações e 1.396 solicitações de cotação em seus primeiros meses de operação.

Durante o processo de implementação, um dos desafios enfrentados foi superar possíveis objeções por parte da rede de concessionárias. No entanto, graças ao trabalho contínuo de conscientização e treinamento, foi possível demonstrar as vantagens e oportunidades oferecidas pela integração de uma plataforma digital em seus métodos de vendas.

O lançamento oficial da loja de equipamentos novos ocorreu em abril passado, durante um evento conjunto entre as empresas, destacando a importância de uma presença digital robusta no setor. Já o desenvolvimento da loja de equipamentos usados representa um marco importante, atendendo à crescente demanda por uma plataforma dedicada à comercialização desses produtos.

Fonte

Enquete

O que falta para o centro de Campo Grande ter mais movimento?

Últimas